Adeus: 10 carros que saíram de linha em 2017

Somente a Fiat deixou de comercializar 6 modelos este ano. Confira outros veículos que se despediram do mercado

cada fim de ano, chega a hora de fazer um balanço das nóticias que marcaram o segmento automotivo nos meses que passaram. Além da chegada de novos modelos, a indústria se renova também com a despedida de carros, que saem de linha para dar lugar a sucessores nas suas categorias ou simplesmente desaparecem sem deixar substitutos – no fim das contas, quem dita as regras de quem fica e quem sai é o mercado.

Somente a Fiat oficializou em 2017 a despedida de nada menos que seis modelos, cinco deles já em janeiro, preparando a renovação do seu portfólio, que está ficando mais enxuto 페파 피그. A Renault, por sua vez, decretou o fim de linha de dois carros. Alguns dos que disseram adeus este ano têm muita história no país, já venderam bem e vão deixar saudades. Outros, com passagem relativamente rápida pelo Brasil, nem tanto.

Confira abaixo a lista com dez carros que deixaram de ser comercializados no país em 2017.

Fiat Bravo

O Bravo foi um dos cinco modelos que a Fiat tirou de linha na virada do ano, juntamente com Idea, Linea, Freemont e Palio Fire, dando sequência à renovação dos seus produtos Kaiyu. Lançado no fim de 2010 para substituir o Stilo, o modelo não resistiu às baixas vendas do segmento de hatches médios, que tem gradualmente dado espaço aos SUVs, e não teve um substituto. A Fiat vende na Itália e em outros mercados a nova geração do Tipo, em versões hatch, sedã e perua, mas oficialmente o modelo não está nos planos da montadora no Brasil.

Fiat Punto/Linea

A Fiat deixou de vender o Linea em janeiro, um prenúncio da também despedida do Punto, que parou de ser fabricado este ano para dar lugar ao Argo, lançado em junho passado 연개소문. Oficialmente, o Punto ainda faz parte do portfólio da marca italiana e está no site comercial da Fiat, porém apenas enquanto restarem as já escassas unidades na rede de concessionárias. O hatch, que era posicionado logo acima do Palio (que também está perto de se despedir), chegou ao Brasil em meados de 2007 e fez relativo sucesso, porém o projeto envelheceu. Já o Linea, derivação com carroceria sedã, apareceu em 2008 para concorrer com modelos de porte médio como Toyota Corolla e Honda Civic, porém, com menos espaço interno e tradição no segmento, nunca teve vendas expressivas. O Linea será substituído pelo Cronos, o sedã do Argo, que chega no começo de 2018 e poderá também decretar a aposentadoria do Grand Siena, ao menos nas versões mais caras ambition of xinjiang.

Fiat Idea

Assim como Bravo e Linea, a Idea teve a produção encerrada em meados de 2016 e seus estoques nas concessionárias acabou em janeiro. Lançada em 2005 no Brasil, a Idea já não era mais fabricada na Europa e não via alterações significativas desde 2010, quando recebeu a última reestilização. Acabou saindo de cena por conta do encolhimento do segmento de minivans, com vendas em queda livre por conta da preferências dos consumidores por SUVS – no Grupo FCA (Fiat Chrysler), o vácuo deixado pela Idea foi preenchido pelo Jeep Renegade, o quarto utilitário esportivo mais vendido do país, com quase 35 mil unidades emplacadas de janeiro a novembro 포토샵 한글판 무료.

Fiat Palio Fire

Fiat Palio Fire

Em janeiro, o Palio Fire deixou de ser vendido pela Fiat como modelo de entrada da marca – posto que passou a ser ocupado pelo Mobi, lançado no Brasil em abril de 2016, com preço e tamanho menores que os do Uno. O Fire trazia o mesmo visual do Palio lançado em 2004, ainda de primeira geração, e representava uma opção mais acessível, porém com pouca oferta de equipamentos, do hatch compacto. Por conta do bom desempenho do Fire nas vendas, muitas das quais direcionadas a frotistas, o Palio foi o carro de passeio mais emplacado do país em 2014, roubando a liderança do Volkswagen Gol após 27 anos consecutivos Download Windows xcode.
Fiat Freemont

Lançado no país em meados de 2012, o Freemont foi um dos primeiros produtos após a fusão da Fiat com a Chrysler, que resultou na FCA. O primeiro SUV da Fiat na verdade era o Dodge Journey com o logotipo da marca italiana na grade dianteira. Importado do México, era vendido apenas com o motor mais fraco, um 2.4 a gasolina de 172 cv, enquanto o Journey, que segue em catálogo, traz sob o capô o propulsor 3.6 V6 de 280 cv. Atualmente, a FCA concentra a sua oferta de utilitários esportivos no Brasil nos modelos da Jeep: RenegadeCompassCherokeeGrand Cherokee msi 드라이버 다운로드.

Volkswagen Crossfox/SpaceCross

Em setembro, a Volkswagen tirou do catálogo o CrossFox e a SpaceCross, que até 2020 serão substituídos por um novo SUV subcompacto que a marca alemã está desenvolvendo. Ao mesmo tempo, o Fox teve a gama reduzida para duas versões, lançadas no mesmo mês: Xtreme, que mantém o visual aventureiro do finado CrossFox, porém sem estepe na tampa traseira, e Connect, ambas com motor 1.6 8v de 104 cv. A perua, por sua vez, ficou apenas com uma opção de acabamento, a Trendline, que traz mesma motorização de 1,6 litro. Com o lançamento do novo Polo, em novembro, e a chegada da nova geração do Gol, em 2020, a família Foxdeve finalmente sair de linha Download the Genesis game.

Renault Clio

Em janeiro passado, o Clio passou a não mais aparecer no site da Renault, marcando o fim de linha do hatch compacto após 20 anos de história no Brasil. Inicialmente oferecido como um hatch mais premium em nosso mercado, trazendo airbags em todas as versões lá em 1996, o Clio foi envelhecendo e acabou virando o modelo de entrada da marca francesa, parado na segunda geração – na Europa, o carro está na quarta, lançada em 2012 naquele mercado. O fim de linha do Clio preparou terreno para a chegado do Kwid, lançado em agosto como o novo modelo acessível da marca francesa, mais compacto e com maior oferta de equipamentos 포켓몬스터 에메랄드 개조버전.

Renault Fluence

Em novembro, a Renault anunciou que deixou de trazer o Fluence da Argentina, onde o sedã médio também deverá deixar de ser fabricado em breve, para se concentrar, para variar, no segmento de SUVs, no qual a marca francesa tem o Duster e o Captur como representantes. A montadora afirma que ainda há estoque nas concessionárias para atender a (pequena) demanda até meados de 2018. Para se ter uma ideia, de janeiro a novembro deste ano foram comercializadas 979 unidades do Fluence no país, deixando o modelo da Renault em 15º lugar no segmento – liderado com folga pelo Toyota Corolla, que soma 59.621 emplacamentos no período. O sedã da Renault chegou ao Brasil em 2011 para substituir o Mégane.

Chevrolet Captiva

Ainda no primeiro semestre, o Captiva sumiu das concessionárias Chevrolet 탱고 영상통화. Lançado no Brasil em 2008 com importação do México, o SUV médio se despediu para dar lugar ao Equinox, também produzido no país norte-americano . O Equinox foi lançado no Brasil  em outubro passado com mais espaço interno e projeto mais moderno, posicionado entre o Tracker e o Trailblazer. Feito sobre a mesma plataforma do Cruze, o SUV traz motor 2.0 turbo a gasolina de 262 cv de potência, câmbio automático de nove marchas e tração dianteira ou integral.

Hyundai i30

Quando a primeira geração do i30 foi lançada no Brasil em 2009, o modelo rapidamente assumiu a liderança entre os hatches médios, oferecendo preços competitivos, design atraente e bom espaço interno para um carro da sua categoria. A segunda geração, lançada no país em 2013, não teve o mesmo sucesso, já sofrendo os reflexos da retração do segmento e também por conta da alta do dólar, levando a Caoa Hyundai a decidir em 2017 não trazer para o Brasil a terceira geração, lançada nos Estados Unidos e na Europa no começo deste ano – e que recentemente ganhou lá fora a versão esportiva N, equipada com motor 2.0 turbo de até 275 cv e aceleração de zero a 100 km/h em 6,2 segundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.